Tagarelando: Câmera Fujifilm Finepix S2950

em: de de
Quando criei o blog, lá em 2010, tirava as fotos daqui com o celular. Para a época, diante das necessidades que eu tinha, ficava tudo bem. Tudo ótimo, eu diria! 

Depois de um tempo eu comecei a usar uma câmera Nikon Coolpix modelo S3000. Foi um belo salto pois ela é muito boa, funciona até hoje (estou desapegando) e é ótima para "uso doméstico". Ela só tem uma grande deficiência: o foco

Fotografando para o blog, as vezes é preciso chegar bem perto para pegar os detalhes do produto, nem sempre as condições do local são ideais para que se consiga uma foto boa, e senti a necessidade de uma máquina mais potente. Acho que essa é uma boa palavra para descrever a Fujifilm Finepix S2950, pois ela não é dessas profissionais, mas também não é tão "amadora" assim.


Diferente da Nikon, a Fujifilm possui várias configurações e seleções manuais. É possível escolher o tamanho da abertura do diafragma e a velocidade do obturador. Vou confessar que ainda eu ainda fico boiando um pouco em meio a todos esses termos e especificações, portanto este NÃO é um post sobre fotografia, apenas gostaria de mostrar a câmera que uso e ilustrar como é possível tirar fotos diferentes usando as mesmas condições do ambiente.


Definições dos termos técnicos (retirado da Wikipedia - adaptado):

Um dispositivo chamado diafragma controla a abertura da lente. Pode-se considerar o funcionamento do diafragma como semelhante ao da pupila do olho — controla o diâmetro efetivo da abertura da lente objetiva. Ao reduzir-se o tamanho da abertura aumenta-se a profundidade de campo. Regra geral, quanto menor for a abertura (maior o valor), maior é a distância do plano de foco a que os objetos podem estar enquanto permanecem nítidos.


A velocidade do obturador está diretamente relacionada com a quantidade de tempo que o obturador da câmera leva para abrir e fechar, deixando passar a luz que irá sensibilizar a película fotográfica e formar a imagem. Quanto menor o tempo de exposição, menos luz é absorvida no interior da máquina, maior a abertura do diafragma necessária para se obter uma exposição correta.


Esquecida que sou, acabei não anotando as configurações usadas em cada foto abaixo, mas garanto que nada no ambiente foi alterado. A luz foi a mesma, a latinha foi a mesma, as fotos foram tiradas uma após a outra (ou seja, não houve mudança de luz devido ao passar do tempo), e a câmera usada foi a mesma.










Interessante né?!

Como disse ali em cima, ainda estou aprendendo a usá-la em todas as suas infinitas possibilidades. Enquanto isso vou me aventurando e testando!

__


Espero que tenham gostado desse post, tem mais da TAG Tagarelando aqui
Se tiverem dicas de fotografia para compartilhar, ficarei feliz em saber! 

Comenta aí =P

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

 
camila nunes - seja belissima - todos os direitos reservados - 2010
layout por juliana fonseca webdesign